Carolina Freitas, Autor em Petrópolis Sob Lentes

Autor: Carolina Freitas (Página 1 de 13)

A linda história de amor do casal que passou lua de mel no Quitandinha em 1949 e, além da chave do quarto, foi presenteado com a chave para a vida a dois

Foi em 1949 que um casal de mineiros decidiu escrever um novo capítulo de sua história de amor no Quitandinha. Noivos, eles passaram a lua de mel hospedados no palácio e, mais do que recordações que levaram para toda a vida, os dois foram presenteados pela gestão, como era tradição no local, com uma chave personalizada do quarto e, principalmente, com a chave para a vida a dois.

Leia Mais →

Em 1973, jovem que estudava em Petrópolis foi o único passageiro a sobreviver a acidente aéreo que matou 123 em Paris

Ainda que as chances de sofrer um acidente aéreo sejam de uma em três milhões, foi em sua primeira viagem internacional que o carioca Ricardo Trajano, à época com 21 anos, ficou entre a vida e a morte. Então estudante do curso de Engenharia da Universidade Católica de Petrópolis, ele chegou a ser anunciado como uma das vítimas fatais pela imprensa daquele que viria a ser chamado de “Acidente de Orly”.

Leia Mais →

Farmácia Petrópolis: para viagem, o valor da união

“Você escolhe e nós embrulhamos”. Já faz tempo que a tinta cobriu os dizeres que davam as boas vindas aos clientes. Lido bem abaixo de ‘Farmácia Petrópolis’, o slogan se tornou parte da identidade da família do senhor João Lopes de Carvalho Sobrinho. Foi o ‘seu’ Joca quem escolheu Petrópolis como morada e embrulhou para viagem o valor da união.

Leia Mais →

Casa Ideal: a cada gesto uma lembrança

Relativo ao que só existe em pensamento, o termo ideal está, normalmente, associado ao que há de superior. Preocupada não em onde chegar, e sim em como caminhar até lá, mais até do que sinônimo de superlativo, a Casa Ideal se destacou pelos ideais que defendeu, sendo a igualdade, talvez, o principal deles.

Leia Mais →

Sabor de Cacau e o gostinho de quero mais

Ainda que geólogo e, portanto, formado na ciência que estuda as transformações da terra, foi no comércio que o petropolitano André Monsores realmente fez a análise do terreno demarcado e, mais do que uma loja de produtos artesanais, projetou na ‘Sabor de Cacau’ a pedra fundamental para o desenvolvimento do encontro de amigos na Sete de Abril.

Leia Mais →

Adega dos Frades: digna de sagradas visitas

Em meados da década de 90, quando nem se pensava em pandemia, já havia quem vivesse momentos marcantes em isolamento não por obrigação, mas por escolha. Afastada do Centro de Petrópolis, a Adega dos Frades não era convento, mas contabilizava religiosas visitas de quem, em busca de adoração a boa gastronomia, a ela recorria.

Leia Mais →

Renaissance Discos: retrato de quem se deixou reinventar pela música

A exemplo do gênero musical que inspirou o nome da loja, a ‘Renaissance’ se caracterizou por sua abordagem conceitual. Como um álbum que conta uma história a partir de suas várias faixas, assim foi o negócio: retrato da figura de Fonzi que, por sua vez, se deixou contar pelos discos que vendeu, clientes que atendeu e pela reinvenção através da música.

Leia Mais →

A Combatente: líder na prática da boa convivência

Entre os limites da loja, de conflito só havia o nome! Especializada na venda de materiais de construção, elétrica e hidráulica, a Combatente provou que, mais do que enfrentar os preços dos concorrentes, para ser lembrado um negócio precisa, sobretudo, ser líder na prática da boa convivência.

Leia Mais →

Beirute e o caminho de ‘seu’ Hamid entre as nuvens e a terra

Situado entre o Mediterrâneo e as montanhas, há quem diga que o Líbano parece estar suspenso entre o céu e o mar. Não distante do referido pensamento é a descrição atribuída ao comerciante libanês Hamid Saikali. Dotado de um espírito empreendedor, ele instalou em Petrópolis seu caminho entre as nuvens e a terra a partir da loja de roupas Beirute.

Leia Mais →

Padaria Francesa: máxima de sucesso

Faça Sol ou faça chuva, entre os fornos de uma padaria a previsão é só uma: calor. Calor que independe do que diz a meteorologia e cujas temperaturas “máxima e mínima”, na verdade, mais têm a ver com a atmosfera do ambiente de trabalho do que com os ventos externos que, no caso da Padaria Francesa, ainda assim sempre sopraram a favor.

Leia Mais →

Página 1 de 13

Petrópolis Sob Lentes & Desenvolvido por Nerd Etcetera